II CONEAB | GRUPO DE TRABALHO 4: Escravidão e Africanidades na América Latina

Coordenadores: Robson Costa (IFPE, Campus Recife/PE) e Valéria Costa (IF Sertão PE, Campus Serra Talhada/PE)

Resumo: As novas concepções metodológicas, sobretudo, orientadas pelas ferramentas da microanálise, que privilegia os arranjos cotidianos dos “anônimos”, contribuíram de maneira significativa com a renovação dos estudos sobre a escravidão africana na Diáspora. Desde as décadas de 1970-80 que temas vinculados ao cotidiano e as formas de reorganização social de africanos e seus descendentes, na América Latina, tornaram-se objeto de pesquisas dos historiadores da escravidão e da pós-emancipação (COOPER, HOLT, SCOTT, 2005). Todavia, ainda é parco o conhecimento sobre as experiências dos africanos e de seus descendentes, no Atlântico Negro (Gilroy, 2001: 122). O que se passava nas comunidades de senzalas, espaços de trabalho urbano, irmandades, candomblés, quilombos ou marrons, nas sociedades escravistas como o Brasil, Haiti, El Salvador, Cuba? Quais as contribuições que as práticas religiosas, formatações culturais, negociações entre africanos, crioulos, livres de cor e não negros, podem trazer para ampliarmos as lentes sobre a estrutura das sociedades escravistas no continente latino-americano? Este Grupo de Trabalho, portanto, tem como proposta discutir os estudos recentes acerca da escravização africana no continente latino americano, sendo bem vindos trabalhos preocupados com as experiências dos africanos e de seus descendentes em suas diversas estratégias de reorganização nas sociedades escravistas da América Latina, entre os séculos XVIII e XIX, tais como: grupos étnicos, nações africanas, trabalho compulsório, alforria, família negra, práticas religiosas, sistematizações culturais.


Sobre os(as) coordenadores(as) do GT:

Prof. Dr. Robson Pedrosa Costa

Prof. Dr. Robson Pedrosa Costa

Possui Doutorado em História pela Universidade Federal de Pernambuco (2013) e Mestrado em História pela mesma instituição (2007). Formado em Licenciatura em História também pela UFPE. Atualmente é professor efetivo do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), Campus Recife e professor do Curso de Licenciatura em História (Modalidade EAD) da UFRPE. Foi, entre 2009-2010, membro da Diretoria da Associação de História de Pernambuco – ANPUH/PE. Autor do livro “Vozes na Senzala: cotidiano e resistência nas últimas décadas da escravidão, Olinda, 1871-1888” e um dos organizadores da obra “História da escravidão em Pernambuco”. Atualmente se dedica ao estudo da escravidão e sua relação com a Igreja Católica e seus membros. Na Tese de Doutoramento se dedicou ao estudo da Ordem Beneditina de Pernambuco e seus escravos ao longo dos séculos XVIII e XIX. É Líder do Grupo de Pesquisa “História, Cultura e Trabalho”, integrando a Linha de Pesquisa “Cultura, Trabalho e Controle Social no Oitocentos”. É também membro da Associação Brasileira de História das Religiões (ABHR). Publicou, em 2016, o capítulo “Entre o santo e o batuque: os escravos de São Bento sob a Regra do Glorioso Patriarca”, no Livro “Religiões Negras no Brasil”, organizado por Flávio Gomes e Valéria Gomes. (Texto informado pelo autor)

Profª. Drª. Valéria Gomes Costa

Profª. Drª. Valéria Gomes Costa

Doutora em História Social do Brasil pela Universidade Federal da Bahia (2013). Mestra (2006) e Licenciada (2002) em História pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia – Sertão Pernambucano. Atua nas áreas de História do Brasil Império e Brasil República, com ênfase nos temas/áreas: Escravidão, Pós-emancipação, Africanos, Libertos, Religiões Africanas, Religiões Afro-brasileiras, Patrimônio Imaterial, Cultura Afrodescendete. Presta assessoria em projetos culturais para entidades artísticas. (Texto informado pelo autor)

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Últimas Notícias e marcado . Guardar link permanente.