GT Escritores e Artistas do Mundo Lusófono pró-África

Escritores e Artistas do Mundo Lusófono pró-África

Fabiana Carelli (USP)
fbcarelli@gmail.com
Renata Soares Junuqueira (UNESP)
renata@fclar.unesp.br

Resumo: No artigo de 1993, “Cinema e antropologia para além do filme etnográfico”, o antropólogo, escritor e cineasta angolano Ruy Duarte de Carvalho afirmaria, em consonância com manifestos anteriores como o célebre “Eztetyka da fome” (1965), de Glauber Rocha, e citando a Carta de Argel do Cinema Africano (1975): “a Carta de Argel afirma que ‘o Cinema tem um papel primordial a desempenhar porque é simultaneamente um meio de educação, de informação e de tomada de consciência, e igualmente um estimulante da criatividade. A realização de tais objectivos pressupõe uma interrogação do cineasta sobre a imagem que ele faz de si mesmo, sobre a natureza de sua função e do seu estatuto social, e de uma maneira geral sobre sua situação no seio da sociedade’” (Carvalho, 2008). Na esteira dessas afirmações, este Grupo de Trabalho pretende, no âmbito do eixo temático “Literaturas Africanas: Cânones em Formação?”, articular reflexões sobre o papel de artistas de expressão lusófona na construção da resistência à colonização e à exploração de países africanos por meio de projetos artísticos que rechaçam o imperialismo e estimulam a valorização das várias culturas autóctones integradas ao continente africano, a fim de promover princípios revolucionários – estéticos e políticos – que solidarizem entre si os povos africanos e os povos de outros lugares periféricos marcados pela lusofonia. Serão especialmente bem-vindos estudos interdisciplinares que contemplem a literatura em relação com outras linguagens – como a do teatro e a do cinema, dentre outras –, dando azo a análises comparativas que nos permitam compor um quadro relativamente alargado das culturas africanas relacionadas entre si e também com outras culturas tidas como periféricas. Além de linguagens artísticas variadas, esperamos acolher trabalhos que reflitam sobre a literatura associada a outras áreas do pensamento como a antropologia, a sociologia, a linguística, a psicologia, a ecologia e a fisiologia. Naturalmente, neste quadro comparativo também terão lugar os estudos comparados de literaturas de língua portuguesa que proponham uma análise atual do sistema de trocas recíprocas entre as literaturas africanas e as demais literaturas da lusofonia.
Palavras-chave: Literaturas Africanas; lusofonia; colonização; resistência.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Últimas Notícias. Bookmark o link permanente.